Gestão & Saúde

Qual a diferença entre doença do trabalho e doença ocupacional?

Lesões, condições de saúde ou doenças causadas devido ao exercício profissional são cada vez mais comuns, embora muitos recursos sejam investidos na prevenção desses problemas. No entanto, apesar de relacionadas, as doenças do trabalho e as doenças ocupacionais têm origens diferentes e demandam ações diversificadas para sua prevenção.

Ficou na dúvida? Não sabe qual é a diferença entre esses termos? Então fique de olho em nosso “raio x” dos problemas causados pelo exercício profissional e saiba evitá-los em sua empresa!

1. O que é uma doença ocupacional?

Doenças ocupacionais ou profissionais, também conhecidas como tecnopatias, são aquelas caracterizadas por serem invariavelmente causadas pelas características da profissão exercida pelo trabalhador.

É inevitável que um soldador, por exemplo, seja exposto à luz da solda diariamente. Isso torna o funcionário mais susceptível a apresentar problemas de visão.  O mesmo acontece com as chances de um digitador desenvolver tendinite ou de um trabalhador de minas de metais ou carvão descobrir que contraiu um câncer.

Essas doenças são conhecidas pelo Ministério do Trabalho e Emprego, bem como pelo da Previdência Social. Existe, inclusive, uma lista elaborada por esses ministérios, em que cada doença é relacionada às suas causas profissionais.

2. Como o trabalhador adquire a doença ocupacional?

Na maioria das vezes, esse grupo de doenças é adquirido à medida que o funcionário é exposto a agentes químicos, biológicos, físicos e radiativos. Quando os limites permitidos por lei são ultrapassados, ou a proteção fornecida não é suficiente para o risco envolvido, a possibilidade de uma lesão ou doença desse tipo aumenta consideravelmente.

3. O que fazer para combater doenças ocupacionais?

Muitas dessas doenças são de difícil tratamento, incapacitantes ou podem provocar até mesmo a morte. Portanto, a melhor forma de combater o problema é a prevenção.

A certificação de que a exposição a agentes nocivos está dentro dos limites estabelecidos, o fornecimento de equipamentos de proteção coletiva e individual, bem como constantes treinamentos para aumentar a conscientização sobre a importância de usá-los são fundamentais para evitá-las e  promover o bem-estar dos colaboradores.

4. E quanto às doenças do trabalho?

As doenças do trabalho, ou mesopatias, ocorrem quando o funcionário é exposto a fatores ambientais que não são comuns a outros profissionais que exercem a mesma função.

Imagine, por exemplo, o digitador mencionado anteriormente. Ele trabalha no setor de faturamento de uma indústria em que o nível de ruído é muito grande. Como resultado disso, ele começa a apresentar perda auditiva.

Neste caso, não podemos dizer que a doença dele é profissional, pois ele não adquiriu o problema por ser digitador. A surdez foi causada pelo ambiente. Se ele fosse digitador em um escritório silencioso, isso não teria acontecido. Portanto, trata-se de uma doença do trabalho.  

5. Como o trabalhador adquire uma doença do trabalho?

Normalmente, isso acontece porque o local é inadequado para a atividade laboral ou porque a proteção fornecida é insuficiente. Mobília incompatível, acessos perigosos ou desprotegidos, falta de isolamento acústico ou térmico em situações em que seriam possíveis são vilões que ocasionam muitos desses problemas.

6. Como prevenir as doenças do trabalho?

A vantagem, neste caso, é que interferências e adequações no ambiente, o fornecimento e o estímulo ao uso das ferramentas de proteção podem evitar a maioria dos casos.

Vale lembrar que, tanto na incidência de doenças ocupacionais quanto de doenças do trabalho, o colaborador é assistido como alguém que sofreu um acidente de trabalho, tendo seus direitos devidamente assegurados.

Portanto, para evitar esses problemas, vale a pena investir em um ambiente seguro, no fornecimento de equipamentos de segurança e, principalmente, na capacitação do colaborador para executar seu trabalho da forma mais segura possível. Afinal, evitar doenças do trabalho e ocupacionais promove o bem-estar do funcionário e isso, além do fator humano, é uma garantia de alta produtividade e engajamento no sucesso da empresa.

Entendeu a diferença entre doença do trabalho e doença ocupacional? Quer saber como garantir que o ambiente da empresa seja seguro e saudável para os colaboradores? Curta agora mesmo a nossa página no Facebook e receba muitas dicas!

Sobre o autor

portalglauco

Deixar comentário.

Share This