Gestão & Saúde

Doenças ocupacionais: como prevenir as principais?

Escrito por portalglauco

Dores devido a atividades repetitivas, falta de ar decorrente da inalação de poeira e audição deficiente — essas são algumas consequências desencadeadas por problemas no exercício do trabalhador em uma determinada função. Por conta desses aspectos, o trabalhador pode desenvolver as chamadas doenças ocupacionais.

Quer saber de algumas delas? Acompanhe este texto e conheça as mais frequentes doenças ocupacionais. Saiba também como evitá-las. Confira!

Quais são as principais doenças ocupacionais?

As doenças ocupacionais variam muito em relação ao tipo de ambiente de trabalho e ao agente nocivo a que o funcionário está exposto. Mas, geralmente, a mais comuns são aquelas ligadas ao sistema respiratório, muscular e auditivo.

Por exemplo, a asma ocupacional é uma doença causada pela inalação acidental de substâncias alérgicas. Pó de madeira, borracha e até mesmo poeira são os agentes que provocam essa doença. O trabalhador acometido pela asma ocupacional tem como sintomas um chiado no peito, tosse, chiado e aperto no peito.

Outra doença bastante frequente é o Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho (DORT) ou mais conhecido como LER( Lesão por Esforço Repetitivo). Trata-se de, geralmente,  dores musculares ocasionadas por atividades que exijam o esforço repetitivo. Essa doença, se não tratada a tempo, pode evoluir para um quadro de incapacidade total ou parcial do trabalhador.

A Perda Auditiva Induzida por Ruído (PAIR) também é uma doença ocupacional bastante comum no mundo do trabalho. Esse distúrbio promove a diminuição na capacidade auditiva do trabalhador devido à exposição constante a níveis elevados de barulho. Quem adquire essa doença sofre de irritabilidade, isolamento, ansiedade e pode perder a audição.

Quais são as maneiras de prevenir as doenças ocupacionais?

Para evitar que o trabalhador contraia a asma ocupacional, é preciso conhecer quais agentes são nocivos para o sistema respiratório daquele funcionário. Identificado esse agente, deve-se evitar ao máximo o contato com ele.

No caso da LER, recomenda-se praticar exercícios físicos regularmente. Esse tipo de atividade fortalece os músculos e seus ligamentos e deixam o corpo mais predisposto a evitar lesões. Também deve-se reorganizar as tarefas repetitivas, incluindo intervalos ou fazendo rodízio de funcionários.

Para evitar a PAIR, o mais indicado é eliminar as fontes de ruído. Muitas vezes isso não é possível, sendo, então, remendado o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).  

Como as empresas podem ajudar a evitar as doenças ocupacionais?

As empresas são diretamente responsáveis pela manutenção das condições de saúde e segurança de seus trabalhadores. Por isso, elas devem garantir que todos os seus funcionários façam o uso de proteção adequada, de acordo o tipo de trabalho, fazendo a fiscalização de EPIs.

Também é aconselhável que a empresa estimule a prática da ginástica laboral. Esse conjunto de exercícios, tanto de alongamento quando de fortalecimento, reduzem bastante os casos de LER, por exemplo.

Manter treinamentos periódicos e palestras, informando ao trabalhador sobre as maneiras de evitar as doenças ocupacionais, também é uma ação eficaz.

Essas foram algumas informações sobre as doenças ocupacionais. Para continuar evitando essas complicações, a empresa precisa investir em um sistema de gestão contra doenças e acidentes de trabalho. Por exemplo, criar uma comissão específica ajuda a manter o local de trabalho livre de interferências e perigos.

Outros desafios ainda precisam ser superados pela empresa para garantir uma maior segurança do trabalhador. Entenda os principais problemas enfrentados na gestão ocupacional.

Sobre o autor

portalglauco

Deixar comentário.

Share This